Artigos

Quando seu filho se torna um policial

Seu filho ou filha são a luz da sua vida. Você os recebeu neste mundo vinte e tantos anos atrás. Mesmo reclamando, você adorava quando eles se arrastavam para a sua cama durante a noite. Você acenou quando eles entraram na escola sozinhos pela primeira vez enquanto segurava as lágrimas. Você brigou com eles para limparem o quarto ou fazer a lição de casa. Você se preocupou quando chegaram em casa tarde depois de uma festa.

Agora eles cresceram e começaram o caminho de suas próprias carreiras. Um caminho que vai mudá-los e colocá-los em perigo, e você só pode se sentar e rezar para que eles cheguem em casa com segurança. Eles estão cheios de animação e energia. Tudo o que você pode pensar é, Senhor, mantenha meu filho seguro. Hoje eles começam a academia de polícia.

Se você não tem experiência policial ou algum parente ou amigo próximo policial, aqui estão algumas coisas que você pode esperar.

Primeiro, seu filho mudará. Isso vai acontecer. Eles se tornarão mais confiantes e dispostos a defenderem aquilo que acham certo. Eles se tornarão mais conservadores em suas crenças. Eles desenvolverão um caráter e personalidade que nunca mostraram antes.

Segundo, eles começarão a contar histórias de guerra. As primeiras não serão suas. Eles contarão histórias de seus instrutores. Em breve, eles contarão suas próprias histórias de guerra. Então, um dia, eles deixarão de contar histórias. A menos que você seja um policialvocê não entenderá o porquê.

Terceiro, eles ficarão cansados. Tente trabalhar um turno de dez horas seguido de seis horas no Fórum. Acrescente algum tempo preso no trânsito e com tarefas domésticas e isso deixa pouquíssimo tempo para dormir. Se o seu filho trabalha no turno da noite você deve ter em mente que, mesmo que ele durma oito horas durante o dia, não é a mesma coisa. O mundo é mais ruidoso durante o dia. Há trânsito, pessoas fazendo barulho, obras e muitas outras coisas perturbando seu sono.

Quarto, eles vão ver coisas e fazer coisas para as quais eles não estavam preparados. Não há nada que o prepare para o cheiro de um corpo apodrecendo por uma semana em um apartamento fechado. Nada o prepara para um bebê morto, jogado por um lance de escadas por um namorado bêbado. Seu filho pega o corpo dessa criança e o leva para a ambulância apenas para descobrir que é tarde demais. Então seu filho usa um autocontrole sobre-humano e prende o assassino sem lhe dar um único tapa. Mais tarde ele dá uma entrevista e é repreendido por chamar o autor de marginal ao invés de “suspeito”.

Quinto, seu filho será ferido. Não há como evitar isso. Se eles passam algum tempo trabalhando na rua, eles vão se machucar. Não quero dizer que tomarão um tiro ou serão esfaqueados. Isso acontece, mas eles treinam para isso, e isso não acontece com todos. O que acontece é que eles deslizam na lama e descem um barranco abaixo. Eles lutam com um marginal e lesionam suas costas. Eles arrebentam o joelho passando por uma cerca enquanto perseguem um assaltante. Eles sofrem acidentes de viatura. É um trabalho físico, lesões acontecem com todos.

Você deu seu filho à polícia. Trinta anos ou mais depois você recebe de volta um dos melhores seres humanos que você poderia imaginar. Claro, eles têm cicatrizes e dores, tanto externas como internas, mas muitas vezes eles são melhores exatamente por isso. Se você tiver sorte, você verá isso. Seu filho se tornou a pessoa madura e responsável da qual você sempre poderá se orgulhar.

Gostou desse artigo? Nos siga no Facebook e acompanhe artigos como esse e muito mais conteúdo exclusivo.

Este artigo foi publicado originalmente por Law Enforcement Today e foi traduzido e adaptado pelo Força e Honra (www.SejaForcaeHonra.com.br)

Write A Comment

%d blogueiros gostam disto: