Artigos

O que um policial que atendeu ao atentado em Las Vegas tem a dizer

O policial americano J Van Dyke foi um dos homens que atenderam ao trágico tiroteio em Las Vegas que resultou em 59 mortos. J Van Dyke, ao chegar em casa após o fato, fez um belo desabafo em seu Facebook, evocando a bravura e coragem dos policiais que enfrentaram a morte para evitar que a tragédia fosse ainda maior. Aqui está sua mensagem:

Estou em casa depois de um turno de 18 horas e meia. E sim, estou em segurança. Eu não posso dizer o quanto eu agradeço as ligações, mensagens no celular, no Facebook… até de pessoas com quem eu quase nunca converso ou não conversava há anos. É sempre muito reconfortante saber que as pessoas se importam. Se eu não respondi, por favor saiba que eu estou atendendo muitas ligações da família e amigos e fazendo o melhor que posso. Eu estou exausto, então tenha paciência comigo… um pouco sobre o incidente…

O Policial J Van Dyke

As primeiras 7 horas do turno foram como qualquer outro turno de serviço. Então enquanto eu estava sentado comendo durante meu intervalo de almoço, o rádio chamou… atirador no Mandalay Bay Hotel. Pelas próximas 11 horas todos nós experimentamos uma série de emoções. Stress e ansiedade eram as principais. Ouvindo o rádio enquanto nos dirigíamos para o Mandalay Bay, ouvindo o stress nas vozes de meus companheiros, ouvindo eles gritando sobre quantas vítimas eles viram, o fato de que os tiros ainda eram disparados. O caos de não saber de onde os tiros vinham ou quem era o atirador. O fato de que era uma arma automática, estilo metralhadora…  Quem quer que fosse, ele nos superava.

Policiais respondem aos disparos em Las Vegas

Ouvindo tiros no rádio enquanto meus companheiros pediam ajuda, sabendo que você ainda estava a quilômetros de distância, é tudo que um policial não quer experimentar. Quando chegamos, nos deslocamos à pé, sem ainda saber de onde os tiros vinham. Recebíamos detalhes vagos de pessoas em pânico ligando para o 911… alguns deles dizendo que existiam vários atiradores no Tropicana Hotel, New York New York Hotel, Mirage Hotel, Paris Hotel… a contínua transmissão no rádio sobre mais vítimas sendo encontradas, mais tiros sendo disparados… Nem isso se comparava aos rostos das pessoas fugindo. Os cidadãos e turistas que nós juramos proteger, fugindo por suas vidas, esperando que pudéssemos lhes dar um milagre. E claro, a frustração que sentíamos quando as pessoas nos perguntavam… “Por que eu tenho que sair?”, “Mas meu hotel é naquela direção.”, “Por que você está gritando para eu colocar as mãos para cima? Isso não é legal.”, “Por que você está apontando um fuzil para mim? Isso é assustador.”

 Os cães pastores ficam frustrados com a ovelha que não quer ouvir. É por isso que o cão pastor precisa morder a ovelha, rosnar para a ovelha, essencialmente assustar a ovelha em submissão, para seu próprio bem. Porque algumas simplesmente não sabem como salvar a si mesmas. Algumas não sabem ou compreendem a magnitude do que está acontecendo.  No maior incidente com armas na história moderna dos EUA, e eu tento salvar sua vida e te colocar em segurança, e os cães pastores, guiando as ovelhas para segurança, são criticados por sua “truculência”. Mas todos esses problemas são esquecidos quando você encontra uma família aterrorizada escondida dentro de um banheiro. Quando você guia uma mãe horrorizada e seu filho à segurança.

Mas mesmo isso… mesmo isso não se compara ao mais poderoso e um dos mais importantes aspectos de tudo. A bravura e coragem dos policiais que somente nós testemunhamos e compreendemos. O fato de que um dos meus companheiros estava de férias nessa noite, ouviu o que estava acontecendo, se fardou em casa e se juntou a nós para lutar contra o lobo. Na minha unidade de 12 policiais, somente 9 estavam de serviço – os outros 3 vieram de casa quando souberam o que estava acontecendo.

Policiais correm em direção aos tiros em Las vegas

No fim do dia nós lutamos lado a lado e ficamos juntos. Infelizmente, nós nem sempre nos safamos, e hoje, um policial de Las Vegas que estava de folga no show está entre os que tragicamente não conseguiram sair vivos. Hoje eu honrarei esse policial, juntamente com os mais de 50 mortos. Hoje eu pensarei em suas famílias e amigos, que agora precisam aprender a seguir em frente sem seus entes queridos. E hoje eu te pedirei para colocar a política de lado. Esqueça do Donald Trump. Esqueça da NFL. Esqueça se você deveria se levantar ou se ajoelhar (para o hino americano). Esqueça sobre nossas diferenças de opinião sobre a polícia e como policiais lidam com a comunidade. Vamos seguir como uma nação UNIDA, e honrar as vítimas e suas famílias. Vamos seguir juntos como uma nação UNIDA e honrar os policiais, médicos, enfermeiros e todos que trabalharam longos e estressantes turnos, sem comida, água ou mesmo pausa para banheiro. Se você se pergunta como policiais enxergam as comunidades que eles policiam, considere o fato de que muitos deles vieram hoje, de folga, para ajudar. Não por ser um emprego, mas por ser um chamado. É quem eles são.

A ovelha nem sempre quer o cão pastor por perto, porque ele as lembra que há mal no mundo. Mas, mesmo assim, o cão pastor está disposto a lutar em defesa da ovelha, e a qualquer momento, ele está disposto a dar sua vida pela ovelha que ele ama. É esse quem ele é.

Gostou desse artigo? Siga-nos no Facebook e acompanhe artigos como esse e muito mais conteúdo exclusivo.

1 Comment

Write A Comment

%d blogueiros gostam disto: